terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

O Absurdo Banquete do Comedor de Amor

Diálogo 12 - Ressonância






- Gumm... Tá-CUM!


- Gumm... Tá-CUM!


- Ouve isso?


- Paradas cárdio-vazias
de sons estrios
preâmbulos a sós-nâmbulos loucos insandecidos
por sentimentos moucos de cosméticos
cósmicos mistos, antidepressivos


- Vidas intensas fúrias sem nexo
de letras miúdas sorridas por dentro
trabalham por rezes em vez de sentir


- Às cores primárias
da cozinha à sala
e de cada cor que se pensa ter em cada
grão-semente vívida de felicidade da busca
que forma a primeira para se misturar
às terceiras antes de cair

sozinha, de cara,

no

lixo.



- Escuta a cítara!

- Escuta a semente se abrindo.

- O silêncio.


- Os sentidos são os terceiros primeiros
mínimos desejos crus despidos de
qualquer ordem
ou jeito


- É gente livre de toda a cor
livre dentro de um quadrado
livre da concórdia quando a discórdia vem
tudo de dentro da mesma possibilidade de ação


- Então grita!
Grita de dentro desse calabouço
intestino-institucional de si mesmo
na tentativa de se livrar desse moribundo
doente
de liberdade.


- É como querer água num oásis de areia
e ter que esperar chover pra poder beber


- Sabendo que a chuva depende
de si mesma
e do sol.


- Que no meu caso é uma mente
e um coração.


- Já sei: sensação de busca por um vazio?


- É, mais ou menos; sensação de busca NO vazio.


- ¬¬


- E tem diferença?


- Quando você é o propulsor da prisão de si mesmo
no outro e do outro em si mesmo,
tudo faz e tem diferença.


- Você conhece o território, mas não o RE-conhece mais.

- É porque ele nunca foi meu.




.


Diálogo 12


.

3 comentários:

Jo. disse...

Eu tou correndo contigo por isso.
*=

Bruna Lenzo disse...

"Grita de dentro desse calabouço
intestino-institucional de si mesmo
na tentativa de se livrar desse moribundo
doente
de liberdade".

Liberdade pra mim sempre foi a cura.

b.l.

Cinco Bombas! disse...

RESPOSTA:

É porque minha liberdade chegou a ponto de inexistir.

Foi castrada.

A partir de então, não vejo mais cura nela.

Acho que a sua nunca foi.

Bom pra vc.

||
*

.

fel.

.